domingo, dezembro 03, 2006

"...AÍ EU VIREI PRA ELE E FALEI: OLHA SÓAH..."

Mais patético do que a narração de uma conversa inteira ao telefone, acompanhada da característica representação manual do aparelho, agora vemos a versão cyber, em que o narrador conta diálogos inteiros havidos por msn ou emails, repetindo no ar seus movimentos num teclado invisível.

As empresas de telefone ainda não perceberam que o sonho do consumidor brasileiro não é o celular com fone de ouvido (aliás, como se houvesse outro tipo de fone, mas deixa pra lá) que deixa as mãos livres, mas um aparelho digital de verdade, ou seja, com receptor e fone em forma de dedal, acoplados aos dedos mínimo e polegar, para que a pessoa possa realmente falar ao telefone do modo como gostaria.

7 comentários:

Giulia disse...

Agora é que os neurônios do Strix vão explodir! Bela vingança! rsrs

Ricardo Rayol disse...

eheheheheh bela tecnologia de "ponta" dos dedos

strixflamea@bol.com.br disse...

Ô mineirinha de Leopoldina, o Strix é conhecido como o cara de nenhumrônios. Não tem nada prá explodir nessa cabeça de merda. Só merda mesmo.
Salvemos a mata atlântica e seus maravilhosos "vales".
Uma bicoca, Jiulia.
Criss, calma. É só brincanagem.
Ciumeira só semana que vem.
Calma né, benhê?

eduardo lima disse...

Poucos anos atrás, na Finlândia, um maluco inventou um torneio de arremesso de celular. Quem arremessava o seu mais longe ganhava um capilé qualquer. Hoje,há tantos inscritos que arremessar celular virou esporte nacional. Penso em organizar uma equipe brasileira para Helsinki 2007. Vou pedir patrocínio para a Vivo.Alguém topa?

Camarada Arcanjo disse...

A idéia não é má. rsrs

Camarada Arcanjo disse...

O arremesso de diretores da Vivo seria muito mais divertido, do que o arremesso dos celulares. rsrs

Na Australia um pub promovia um concurso de lançamento de anões á distância contra uma parede estofada. Alguns achavam a parede á meia altura, e saiam mancando.

Mas voltavam logo para o início da fila. Haviam poucos anôes para tanta gente com muita vontade de lançar anões.

Eles se divertiam muito. Os lançadores, é claro! Os anões não se divertiam tanto. Semelhante aos garções e porteiros do Pub, estavam trabalhando. rsrs

Mondo canne, caríssimo.wvbtf

Giulia disse...

Caro Strix, acho que temos que dar um tempo. A gente acaba monopolizando este espaço edificante (acompanhou até aqui?...) e percebo que isso está ficando chato. E depois eu sou vegetariana, tenho horror a camarão... Sem mágoa, tá?