domingo, novembro 26, 2006

QUERIDO DIÁRIO

Deve ter uns quatorze anos. Está deitada de bruços sobre o colchão, balançando no alto os pés entrelaçados, distraidamente.
Escrevendo pensativa num diário cor-de-rosa, de vez em quando ela pára, eleva o olhar, imaginando o que escreverá a seguir. Nessas pausas, leva a caneta à boca, batuca nos próprios dentes, sorri, prossegue a escrita.
Sobre o colchão, entre bichos de pelúcia e revistas Capricho, ela é mais uma adolescente brasileira, como tantas outras, enlevada por seus sonhos românticos, fotos de galãs, escrevendo suas bobagens num diário cor-de-rosa com chavinha e cadeado.
Não fosse pelo colchão estar numa calçada imunda, numa esquina movimentada de Botafogo.

9 comentários:

Denise Sollami disse...

phoda...
mas há um certo alento - ainda que uma desvalida, tem esperança no coração.

Camarada Arcanjo disse...

Lindo post!
Trágica realidade!

Giulia disse...

Mostrando que "ser" humano independe de ter um teto ou $ no bolso.

gugala disse...

duelo entre o rosa do sonho e o cinza da vida.
p.s: minha verificação abaixo pede apavoy. Calhou.

Camarada Arcanjo disse...

Criss,

A quantidade de comentários não tem relação com a qualidade do texto. Os textos mais divertidos tem mais comentários, enquanto que os mais densos nos fazem calar.. e pensar.

Parabéns.

strix, amor eterno e azul disse...

Strix quieto.
Mas tudo isso aconteceu numa esquina de Botafogo?
Logo alí?

Ricardo Rayol disse...

Sim Denise a esperança reside na ação do 9des)governo que irá confiscar seu querido diário como uma peça de resistência da mídia imperialista.

Obscenum disse...

Plaft!!

Serjão disse...

Esta tem a particularidade de estar escrevendo. Mas aqui é do Leme ao Pontal, my dear.