domingo, setembro 10, 2006

PAULICÉIA CRÔNICA IV

TIRA PRESSÃO, BOTA PRESSÃO

Tá lá você na fila pra entrar no Museu da Língua Brasileira. Sabe como é, nessas cidades onde está havendo uma onda de frio: Um calor de bode, maior sol. E gente pra dedéu.
Um prato feito pra versão revisitada daquelas ciganas que antigamente ficavam enchendo o saco, se oferecendo pra ler a mão da gente: Agora são umas senhoras fantasiadas de enfermeiras, com um aparelho de pressão nojento, perguntando com o sorrisinho mais cínico: "vam' tirá pressão, bem?" "tirá pressão é importantch" blablablá.
Consegue pegar o incauto ruivão na minha frente na fila. A tal cigana, digo, enfermeira, vai bombeando o aparelhinho tchuf tchuf tchuf e dizendo: "Cê toma remédio pra pressão, benhê?" e o ruivão, sem graça: "Não..." "Ah, porque sua pressão tá normal, 12 por 8" e emendando (e dá-lhe pressão tchuf tchuf tchuf)... Cê sabe, né, bem, que a gente faz esse trabalho aqui, é volontário, mas nós sempre pede a contribuição das pessoa, porque tirá pressão é importantchuftchuftchuf...."
O camarada, já de saco cheio, (de tanto tchuf tchuf) pega um real a contragosto, se sentindo o próprio otário, e dá pra mulher. Ela, antes toda sorrisos e benhê, se vira numa megera (até nisso igual às antigas ciganas, que rogavam praga na gente que não queria saber o futuro): "Quê? Só isso? Mas é cinco reáu que nóis tâmu querendo por esse serviço, tirá pressão, importantch..."
No que a burra já espanta toda a potencial clientela circundante, atenta ao surreal diálogo, ainda mais numa fila onde não há nada melhor a fazer. E lá vai ela tentar vender sua atividade ilegal mais adiante...
Pensando bem, até que são atividades similares, cigana e falsa-enfermeira: Mesmo approach, sendo que há muito mais chance de acerto em se tentar adivinhar o futuro medindo a pressão do sujeito, do que lendo sua mão: "vinte e três por quatorze, o senhor tem poucos dias de vida..." "dezenove por treze, vejo um homem de branco no seu futuro..."

5 comentários:

Camarada Arcanjo disse...

Excelente.

O approach é o mesmo de todo o pedidnte, estimulado a agir assim, sem a menor vergonha, porque as orientações de esquerda assim estimulam a população a se comportar.

Diz que não é verdade!

CrissMyAss disse...

Não é verdade.

Camarada Arcanjo disse...

Obediente, heim! rsrsrs

CrissMyAss disse...

Ô...

wilson disse...

Esse 171 nunca tinha ouvido falar. Deve ter sido importado do Rio (hehe).